Adquira seu livro aqui!

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Juju está aqui... ôba!!!

Juliana com 16 anos

Juliana, pra quem não sabe, é minha sobrinha. Safada, moleca, muito amada e portadora de síndrome de down.

Chegou em nossas vidas causando o maior tumulto, porque na verdade não é fácil receber a notícia de que uma pessoa da sua família acabou de dar à luz uma criança especial. 

Lembro-me bem do dia do seu nascimento, estávamos todos na casa de saúde São José. Chovia muito, e, mesmo o trânsito estando  prá lá de confuso, chegamos a tempo de acompanhar a ida da Cida para a sala de parto. Ela já estava com as contrações, mas ia se submeter a uma cesariana porque Juju estava sentada.
Após o nascimento, notamos, pela reação dos médicos, que alguma coisa estava diferente. E logo veio a notícia, Juju tinha síndrome de down.

Foram momentos angustiantes até darmos a notícia para sua mãe que, ao saber de tudo, pediu para ficar sozinha. Eu, preocupada, tentei ficar no quarto, alegando estar arrumando alguma coisa. Mas ela se virou e disse: - Sandra, quero ficar sozinha, não se preocupe.

 Como eu já havia visto a Juliana, e ela ainda não, resolvi me arriscar com algumas palavras:

- Cida, eu não sei o que falaram pra vc, mas sua filha é linda! Você pode estar pintando um quadro diferente aí na sua cabecinha, e eu só soube que ela tinha uma síndrome porque o médico falou, ela parece um bebê como outro qualquer.

Minha irmã ficou sozinha, por várias horas, chorando em silêncio no quarto escuro. Depois, pediu para chamar seu marido e conversaram por um bom tempo. O médico apareceu e, de uma forma muito carinhosa, perguntou se eles já estavam prontos para receber a Juliana, que estava esperando, mas antes resolveu dar seu parecer.  Mais momentos de espera, já que ninguém mais foi autorizado a entrar no quarto.

 Após o médico sair, ela me chamou. Minha outra irmã, que é médica, estava com a Juju no berçário e aguardava o momento de levar a criança até seus pais.

Entrei e minha irmã disse as seguintes palavras:

- Sandra, preciso da sua ajuda para me arrumar, tenho que estar bem para receber minha filha. Eu a ajudei e, depois do banho, penteei seus cabelos e ainda passei um pouco de maquiagem no seu rosto.

Ela pediu que trouxessem sua filhotinha e, após trazerem a Juju, ela ficou ali, como toda boa mãe, admirando sua cria. Estavam apenas ela, Juju e o Cláudio (marido da Cida) dentro do quarto. 

Depois de muito babar sua pequenina, ela pediu para a família entrar e disse as seguintes palavras:

- Minha filha é uma princesa e deve ser tratada como tal. Chega de choradeira. Se Deus nos deu uma filha especial, é porque Ele sabia que tínhamos capacidade para isto. Eu só quero fazer uma oração pedindo a Deus que esta nova situação não seja motivo para que eu e o Cláudio venhamos a nos separar.

Todos nós, com lágrimas nos olhos, acompanhamos a oração e nos alegramos com a situação.

Juju hoje está com 18 anos. É uma das princesas da família. É muito paparicada por todos e tem nos ensinado a cada dia a termos uma postura diferente em relação a tudo.

Suas conquistas, que são poucas e lentas, nos causam tanta alegria que ficamos nos perguntado se temos mesmo que exigir tanto das pessoas. Seu jeitinho de nos amar de uma forma tão sincera também nos leva a outro patamar de amor totalmente despretensioso.

Ela hoje está aqui em casa. Sempre passa alguns dias das suas férias comigo, e nesses momentos eu tento tirar o maior proveito. Além de exercitar toda a minha paciência, já que ela tem seu tempo para fazer tudo, e não quando eu quero, tento também entregar-me às brincadeiras e permitir assim que ela traga de volta a criança que existe em mim e que, por muitas vezes e muitos motivos, não pode se manifestar.

9 comentários:

®ê Werneck disse...

:) :) :) :) :) :)

E muitos beijos pra ela :)

®ê Werneck disse...

Momento mulherzinha: que botas lindassss 1 Diz pra ela que ela ARRASOU !!!

Marcelo disse...

Ter o privilégio de conviver com pessoas especiais é somente para pessoas ESPECIAIS.

Fabíola disse...

Nossa... fiquei arrepiada!!
E o Marcelo disse tudo!!!

Bjão pra Juju e pra toda família!!!

Fabíola

Bia disse...

Tia, te confessar que me emocionei com uma história tão linda ..
Ela realemnte é uma princesa, e não só da sua família, ela conquista muitos outros corações a fora ...
Vc sabe que sim né ?!
Um giga beijo pra ela, e eu sinto muitas saudades ...
Beijos pra vc tbm tia.
Bia

sandrine disse...

Queridos amigos frequentadores do meu blog obrigada pelo carinho. Vcs tornam minha vida muito melhor.
Bjs
Sandrine

Lilian Pereira Alves disse...

Lembro muito bem do nascimento da Juju. No dia de sua apresentação na Igreja do Encantado, ela com uma roupinha vermelha estaba linda epor alguns minutos Cida pediu-me que a segurasse no colo.
Como Cida tenho o privilégio de ter uma filha também com uma sindrome. Privilégio sim, pois quem disse que só quem tem filho perfeinho, bonitinho é privilegiado? Ter filhof é sempre uma dádiva, um presente.
Débora é como Juju, meiga e cativante. Tem o seu tempo! Suas conquistas também são lentas, mas sempre nos surpreendem e alegram.
Não digo que é fácil a caminhada, mas é enriquecedora, gratificante e extermamente divina! Precisamos aprender a amar e aceitar o diferente, o simples, os defeitos, as limitações...Deus não faz acepção de pessoas e as ama incondicionalmente.
Ouvir alguém me chamar de " Meu raio de sol" " Flor do meu dia" é maravilhoso e é assim que muitas vezes sou chamado por telefone, por SMS e ao vivo e a cores!
Meu coração é grato a Deus pela vida de minhas filhas e pelo prazer de dividir o cuidado de alguém que foi criada à Sua imagem e semelhança para Sua própria Glória e louvor!
Parabéns Juju! Parabéns Dedé! Vocês nos mostram como a vida é simples e bela!

Lilian Pereira Alves disse...

Lembro muito bem do nascimento da Juju, dos sentimentos e orações que foram feitas.
No dia de sua apresentação na Igreja do Encantado, ela com uma roupinha vermelha estava linda e por alguns minutos Cida pediu-me que a segurasse no colo.
Como Cida tenho o privilégio de ter uma filha também com uma sindrome. Privilégio sim, pois quem disse que só quem tem filho perfeinho e bonitinho é privilegiado? Ter filhof é sempre uma dádiva, um presente.
Débora é como Juju, meiga e cativante. Tem o seu tempo! Suas conquistas também são lentas, mas sempre nos surpreendem e alegram. Só em estar viva já é um milagre, pois por várias vezes andou pelo vale da sombra e da morte.
Não digo que é fácil a caminhada, mas é enriquecedora, gratificante e extermamente divina! Precisamos aprender a amar e aceitar o diferente, o simples, os defeitos, as limitações...Deus não faz acepção de pessoas e as ama incondicionalmente.
Ouvir alguém me chamar de " Meu raio de sol" " Flor do meu dia" é maravilhoso e é assim que muitas vezes sou chamada pela Dedé no telefone, por SMS e ao vivo e a cores!
Meu coração é grato a Deus pela vida de minhas filhas Priscila e Débora tão diferentes e tão igualmente iguais e amadas. Sou grata a Deus pelo prazer de dividir o cuidado de alguém que foi criada à Sua imagem e semelhança para Sua própria Glória e louvor!
Parabéns Juju! Parabéns Dedé! Vocês nos mostram como a vida é simples e bela!

Rayssa Bentes disse...

Que lindo post tia! Com certeza se Deus presentiou a cida cm ela, era porque ele sabia que nesse lar ela seria tratada realemnte como a princesa que ela é!
Uma linda que cativa a tds que a conhecem.
Beijos para princesinha ai e
para sogra amis linda do mundo!!

Postar um comentário

O Clube do Salto: Juju está aqui... ôba!!! - 2011 Theme by Kali Vieira