Adquira seu livro aqui!

sábado, 19 de março de 2011

Musica ambiente no Metrô... E que música!!

dirleibonfim.blogspot.com
Sempre pego o metrô na Praça Saens Pena para ir ao trabalho. Embora o serviço não esteja de primeira, ainda é o mais rápido e eficiente.

Como gosto de me preservar, e também de usufruir dos direitos que me são concedidos, procuro sempre o vagão das mulheres.

Nesta última sexta, por estar um pouco atrasada, parei em frente ao primeiro vagão que apareceu, eu precisava ficar bem direcionada, na porta de entrada, para disputar um lugar.

Ao entrar sentei perto da porta, gosto mais de viajar mais nos cantos dos carros, mas com tantos homens disputando lugar comigo, foi o melhor que consegui. 

Sentei e, como de costume, coloquei meus óculos escuros e procurei a melhor posição para dar aquela cochilada básica. Olha aqui, não fique pensando que isto é coisa de velho, ou velha, eu cochilo em ônibus, trem, metrô, van, avião, navio, desde que me entendo por gente. Fazer o quê? O balanço é tudo que eu preciso para apagar. 

Quando vou viajar para Marataízes, para ver meus familiares, vou sempre à noite. Ouço muita gente reclamando que não consegue dormir, que passa a noite em claro. Comigo não, nem o ônibus saiu da rodoviária e eu já estou num sono profundo. Explicado porque não gosto de pegar estrada dirigindo, sou um perigo!!!

Voltando ao metrô, quando chegou à estação Central do Brasil, entrou muuuuuuuuita gente, e entre essas pessoas, um ser humano, com seu celular sem fone, tocando uma música tão alta que levei um susto, não esqueçam que eu estava no meu cochilinho.

Olhei em volta para ver quem era a criatura, o que não devia ter feito. Ele, ao cruzar o olhar com o meu, percebendo que eu estava incomodada, resolveu se posicionar bem perto de mim. Claro, ele queria briga, tava na cara e nos gestos dele, a pessoinha era tão mal encarada que nem os homens que se encontravam no vagão, mesmo aqueles acompanhados pelas suas distintas senhoras, não ousaram questioná-lo. O homem parecia ter vindo das profundezas das trevas. Quase fiz o sinal da cruz na tentativa de exorcizá-lo.  Comecei a rezar pedindo a Deus que controlasse meus impulsos. Muuuuuuuuuuito difícil mesmo,  um teste de paciência, mas eu consegui. Para não dar muito na pinta, encostei minha cabeça na janela e fingi estar dormindo, se era para aguentar que pelo menos fosse com dignidade, que ficasse claro que nada tiraria meu sossego. Cheguei a beira do desespero, mas aguentei firme. 

Gostaria de colocar as músicas aqui para vocês entenderem meu drama, mas impossível. As letras são impróprias até para maiores de 100. Já havia ouvido falar nesses funks com apologias a sexo e crimes, mas ainda não tinha escutado nenhum. Fiquei horrorizada, e olha que não sou nenhuma santa embora cheia de princípios intransponíveis.

Para azar meu, ele só desceu em Ipanema, mesma estação que desci, fiquei sentada esperando o vagão esvaziar para ver se ele sumia na multidão, e ele sumiu.

Ainda bem que era sexta feira, e numa sexta tudo fica mais leve. Imagine se fosse numa segunda? Ele teria acabado com a minha semana. Estou indignada até hoje, quanta falta de educação, provocação e sei lá mais o quê!

Aprendi duas coisas: a primeira é que podemos sair de casa super bem intencionados com o dia, mas se não tivermos cuidado, um pequeno detalhe pode se transformar numa tragédia. Se eu reagisse, tentasse fazer com que ele diminuísse o volume da música, acho que o resultado não teria sido nada bom, pois o ar chegou a ficar pesado com a chegada dele, a gente sente isso. 

A segunda é que podemos tomar o controle da situação sim, mas para isso precisamos de calma, esfriar a cabeça e pedir ajuda externa, no meu caso lá do alto. Salvei meu dia e meu fim de semana e quem sabe a vida.#exagerada!!!

Então é isso, bom fim de semana pra todos.

5 comentários:

Carlos Alexandre disse...

O camarada pelo jeito estava querendo ser notado de alguma forma. Outro dia eu também me deparei com um desses numa fila das Lojas Americanas, na Tijuca. As músicas eram terríveis, e estava escrito no rosto da figura: "quero arrumar encrenca". Eu quase pedi educadamente para ele diminuir o volume, porque a música era uma apologia a tudo que não presta na face da terra. Contudo, pensei na possibilidade de ele não só não diminuir o volume como também me mandar para aqueles lugares fazer aquelas coisas. Então, para que a chapa não esquentasse desnecessariamente, preferi deixar o cidadão pagar sua compra e seguir seu caminho. Vade retro !!!

Fabíola disse...

Tem gente que já sai de casa com o espírito de "vou arrumar confusão hoje"... e as vezes basta encontrar alguém que o olhe de maneira "torta" para criar a confusão. Melhor mesmo ignorar... e pedir desculpas se ele pisar no seu pé! rsrsrs...

Ahh... e essa história de dormir no onibus, avião... é só se eu não tiver do seu lado!! hauhauhau... eu não consigo dormir... ai vc tem q ficar acordada pra conversar comigo!! ;))

Bjs!
Fabiola

P.S.: Confesso que nao li o último post todo... tive medo de vc falar demais do documentário.. e eu ainda quero assistí-lo!! ;)

®ê Werneck disse...

Putz ... Nós e a eterna comprovação da falta de civilidade de algumas pessoas. Não sei como uma lição tão fácil não é aprendida por alguns: "o seu espaço termina onde começa o do outro". Depois me lembra de te contar uma história de um vizinho meu, vencedor de uma mega-sena. Se acha o dono do mundo. Dita a música da piscina e já invadiu o meu espaço de tal modo que quebrou uma das minhas cerâmicas de Vigário.

Afffff... pra nós, que somos "esquentadinhas" e brigamos por justiça, é mto difícil ficar inerte. É um exercício a cada segundo !!!

Uma dúvida: já fui de dormir assim como vc. Hj não consigo mais rs. O que se passa comigo ? rs

Bjsssss

querou aquino disse...

Sandrine, obrigada pelo elogio! Pelo pouco que li do seu, também é uma delícia.

E olha, realmente é muito difícil manter a calma nessas horas porque, como você mesmo disse, tem pessoas que parecem vir das profundezas com o intuito único de te retirar do teu bom estado mental. Mas a verdade é que é EXATAMENTE isso. Muita gente pode não acreditar nisso, mas pra mim acaso não existe. Por isso, mil parabéns pra você, que não cedeu à tentação e manteve seu estado mental. É dificílimo conseguir isso, e você o fez. Merece muito apreço.

E ah, depois me ensina, porque eu tento, tento, mas ó... hahahahahah! :)

beijos,
carol

jorge elias disse...

Aconteceu comigo varias vezes indo pro castel alias de manha cedinho so da vontade de bater com a cabeça na porta do metrô ou se jogar na linha
detesto esses tipos de pessoas

Postar um comentário

O Clube do Salto: Musica ambiente no Metrô... E que música!! - 2011 Theme by Kali Vieira