Adquira seu livro aqui!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

As músicas da minha vida - Fix you – Coldplay

Ando flertando casualmente com algumas musicas do momento, isto acontece de tempos em tempos. E uma delas é essa aí do título acima. Mas têm outras como: Adele – Someone like you - Janelle Monáe - "You".
topteen-kelly.blogspot.com
 É fácil reconhecer quando uma música vai se tornar inesquecível pra você, basta ela ser associada a algum acontecimento. E isto vale também para perfumes, lugares... Hum perfumes...  Talvez fale sobre eles algum dia.

Mas, voltando às músicas que ando ouvindo, acabei lembrando algumas que marcaram a minha vida e também os acontecimentos que elas, as tais musicas, presenciaram. Nem sempre a musica marcante é a da parada de sucessos da época. Porém, com certeza, é aquela cuja letra fala um pouquinho do que se está sentindo no momento. A melodia é escolhida de acordo com seu estado de espírito e pode levá-lo à euforia ou até mesmo aos mais sórdidos túmulos.

Quando era bem menina e tive o meu primeiro beijo, que nem foi tão bom assim, a música que me acompanhou no momento foi - Can't Help Falling In Love - Elvis Presley. Eu explico:

 Estava apaixonada por um rapaz loiro, de olhos azuis, que passava sempre em frente à sorveteria do meu pai. Eu ficava de plantão atrás do balcão esperando por ele. Nós, os filhos, tínhamos acesso total à sorveteria. Podíamos pedir o que quiséssemos e ainda encomendar sorvetes de frutas naturais para levar para casa. Tínhamos também uma cota de picolés para distribuir para os amigos.  Meu pai adorava fazer uma graça.

Quando o tal loiro resolvia entrar na sorveteria eu mudava, nem parecia eu. Falante do jeito que sempre fui, caía no mais profundo silêncio e não sabia o que fazer. Naquela época uma menina de 12 anos era realmente ingênua, e eu mais ainda. Era um amor não correspondido, claro. Ele devia ter seus 17 anos, já era um rapazinho, e eu nem menstruação tinha, portanto nem era considerada uma mocinha. Quando chegava em casa, toda apaixonada, ouvia essa música sem parar, mas sem parar mesmo. Não sei como os outros mortais que habitavam o mesmo teto que eu aguentavam.

Um dia uma amiga resolveu comentar meu segredo com a irmã dele. Fiquei com tanta raiva que deixei de falar com ela por um período. Ela ficou irritadíssima, afinal, acabaram-se os picolés de graça. Depois disso, não deu outra, ele começou a frequentar mais a sorveteria. Bem, voltei a falar com minha amiga e num belo dia, ou melhor, numa bela tarde, tive o meu primeiro beijo, que não era nada daquilo que eu imaginava. A paixão acabou ali. Mas a música ficou. E, até hoje, quando escuto, volto no tempo e penso... O beijo não deve ter sido tão ruim assim, eu é que não sabia mesmo beijar.

Outra música que faz parte da minha história é -  Please Mr. Postman – Carpenters - Quando essa música estourou, eu estava sozinha, não namorava ninguém. Mas, como anteriormente eu havia namorado um rapaz que estudava numa academia militar e que escrevia várias cartas,  minhas irmãs e amigas, avistando o carteiro,  lembravam do episódio e  cantavam  essa música para mim. Esse namorado, ao se formar, voltou a me procurar e acabou sendo meu primeiro marido. O casamento não deu certo, mas a música ficou gravada pra sempre.

Claro que existem várias outras músicas que nem sempre estão relacionadas aos meus affairs, mas, coincidentemente ou não, vou falar de mais uma que acabou sendo tema do meu 2º casamento.

 Essa música me marcou depois que vi o filme Um Lugar Chamado Notting Hill – música She.  Embora já conhecesse a música original, na voz de Charles Aznavour -  Tous Les Visages de L'amour  (Todas as Faces do Amor, em português) – 1974, quando a ouvi, mais ou menos em 2009, na voz de Elvis Costello, sabia que ela estaria comigo pra sempre. Além de falante e dramática, ainda sou uma romântica incorrigível, e por isso sabia que, se eu voltasse a me casar, seria com essa música. Na época eu quase casei com outra pessoa, contei isso num outro post, mas a música migrou para o casamento que você pode e deve conferir aqui.

O amor não é mesmo lindo?

Ah, quanto à música do título deste post, Fix you – Coldplay,  eu garanto que não tem nada a ver com um novo amor, pois estou felicíssima com meu maridão. Mas a história que a envolve é muito interessante. Bem, mas vamos deixar para outro post.

5 comentários:

Aaliyahrj disse...

Oi, Sandra!!!
Estou passando para te desejar uma excelente semana!!!
Bjoks

Carlos Alexandre disse...

Lembro que, no início da adolescência, ficava ouvindo "Imprensa Night Club", com Robson CAstro. Uma viagem e tanto. Dormia com o rádio ligado.

Fabíola disse...

Tenho algumas músicas que me marcaram tb, mas geralmente o que me marca são perfumes! E o pior... as vezes deixo de usar um determinado perfume pra não ficar um cheiro "comum", para manter aquela lembrança de determinada ocasião.

Agora de música, tenho algumas, mas a mais "inusitada" é o funk "Um morto muito louco" (acho q é esse o nome)... me lembra a viagem ao Chile q fiz com meu irmão! Muito engraçado, pq TODO DIA eu escutava essa música ou na Tv, ou em algum lugar... acabou que não posso escutar a música que eu lembro da viagem, que foi fantástica e que me trás ótimas lembranças... só a música é que não tem como esquecer, pq foi a primeira vez que escutei um funk fora do país com tanto sucesso! ;)

Bjs,
Fabíola

Sandrine disse...

Fabíola,
a Cida esteve agora no Chile e lá Michael Teló - Ai se eu te pego. Tem gente que não gosta quando uma música desse tipo aparece em outros países. Eu cho tudo uma grande brincadeira.
Bjs

Fabíola disse...

Acho que tudo é válido! Adoro escutar, mesmo a pior música brasileira, fazendo sucesso lá fora... até pq escutamos tanta porcaria aqui vindo de fora!! rsrsrs...
Michel Teló tá fazendo sucesso até no Iraque... no mundo inteiro... agora ele quer o mercado americano tentando uma versão em ingles... hauhauhaua... enfim! Tem mercado pra tudo... q seja pros brasileiros tb! ;)

Bjs!
Fabíola

Postar um comentário

O Clube do Salto: As músicas da minha vida - Fix you – Coldplay - 2011 Theme by Kali Vieira