Adquira seu livro aqui!

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Crise de idade? Eu? ...


seriesedesenhos.com

Adoro fazer aniversário, isso não é novidade para ninguém. Além de gostar da data, ainda amo comemorar. Dificilmente passo em branco, só me lembro disso ter acontecido quando fiz meio século. É, é isso mesmo, já tenho mais de meio século. Mas isso é um pequenino detalhe, vamos deixar de lado, o assunto hoje aqui é outro.

O mês de dezembro tem algo meio mágico no ar, todo mundo fica em festa! Além do Natal, que para mim tem um significado todo especial (sou Cristã praticante), tem a perspectiva do novo ano, de novos planos etc e tal... E meu aniversário bem no meio disso tudo, 3 dias depois do Natal e 3 dias antes do Ano Novo. Pego carona na euforia que se instala e comemoro muito.

Mas teve uma vez que falhou. Chegou o mês de dezembro, como agora, fiquei super eufórica, como também estou agora, comecei a fazer milhões de planos, afinal, não é todo dia que se faz 50 anos. Pensei mesmo em uma festança, mas o tempo foi passando e a animação diminuindo, diminuindo, os amigos ligando para saber onde seria e eu desanimando, até que uma semana antes, decidi que não iria fazer nada.

Fiquei meio que paralisada, pensando mesmo em tudo o que havia feito ou mesmo deixado de fazer. Puro momento de reflexão.  Várias coisas vieram à minha mente. Tive momentos de alegria por constatar ter realizado muitas coisas, mas muitos momentos de melancolia e remorso por achar que poderia ter feito muito mais. Fiquei tão estatelada que achei estar a beira de uma depressão, então tive a certeza que iria ficar em casa no tal dia.

Meus amigos, sempre acostumados ao meu jeito festeiro, não se conformaram com minha decisão e começaram a pressionar. Fui ficando cada vez pior, pois não via saída, nada do que eu dizia era suficiente para convencê-los que aquele ano eu não queria comemorar, ou pelo menos que não queria sair.
Fiquei na maior saia justa, mas consegui convencer a todos que ficaria mesmo em casa e que não queria festa surpresa.

Mas amigo que é amigo não te abandona. Mesmo compreendendo meu momento delicado, começaram a aparecer de dois a dois, três em três... chegavam com flores, presentes, bolos, brigadeiros, champanhe... desde as primeiras horas do dia. Minha casa ficou cheia o dia todo. É, “já que Maomé não vai a montanha...”,  eles levaram a festa até onde eu estava. Chegavam, papeavam... caí na risada em alguns momentos  e cheguei as lagrimas em outros. Ganhei  beijos, abraços e cafuné...  e foi assim até meia noite. 

Foi um aniversário muito significativo e com o saldo muito positivo, afinal, descobri então, que um dos maiores tesouros que acumulei nesses longos 50 anos foram essas amizades maravilhosas que tornam cada ano de vida um privilégio de convívio com eles.

Como é bom ter amigos!!! E por falar nisso, aniversário chegando de novo... Ôba!!!

3 comentários:

®ê Werneck disse...

Opa ! Quero comemorar com vc esse ano :) :)
Olha que coincidência: também amo fazer aniversário !
Uhúl !!! Comemore hein !
Bjão

jorge elias disse...

aniversário é legal,mas no meu aniver..aff

Vanessa disse...

Oii Sandrine!!! Achei seu blog através do blog da Renatinha!
Já espiei bastante aqui e vou dizer: Estou anciosa em ler a sua obra!!!:)
Adorei este post!!!
Aniversário é mesmo tão bom... e assim cercada de gente querida, refletindo a vida é ainda melhor!!! Afinal, este presente que a gente recebe a cada dia de Deus chamado de hoje deve ser celebrado sim!!! Com muito orgulho!!! Parabéns pelo Post!!!
Beijinhos........

Postar um comentário

O Clube do Salto: Crise de idade? Eu? ... - 2011 Theme by Kali Vieira